Cientistas "ressucitam" gene de mais de 500 milhões de anos

No filme Jurassic Park (1993 ) vimos como “reviver” criaturas que habitavam a Terra há milhões de anos poderia ser um negócio arriscado. Bom, recentemente um grupo de pesquisadores fez um experimento similar (usando bactérias ao invés de dinossauros como fonte de genes, vale dizer de antemão).

Por meio de um processo chamado evolução paleo-experimental, a equipe do Instituto de Tecnologia de Georgia (EUA) “ressuscitou” um gene bacteriano de mais de 500 milhões de anos, e o inseriu em bactérias E. coli. Ao observar um gene antigo em um organismo moderno, é possível ver se a trajetória evolutiva se repete ou se, ao invés disso, os organismos vão se adaptar de outra forma, explica o cientista Betül Kaçar.

Evolução vista de camarote

Em 2008, seu orientador de pós-doutorado, o professor de biologia Eric Gaucher, descobriu a sequência genética antiga capaz de sintetizar a EF-Tu, uma proteína essencial para a E. coli e presente em todas as formas de vida celulares que conhecemos.

Com o gene em mãos, Kaçar e sua equipe o inseriram nos cromossomos de bactérias, criando oito linhagens idênticas de E. coli híbridas (portando o gene antigo em meio a sequências genéticas modernas). De início, esses organismos não eram tão saudáveis como os atuais. “Isso criou um cenário perfeito para observarmos como os organismos alterados iriam se adaptar e acumular mutações a cada dia [conforme se reproduziam]“, diz Gaucher.

Com o passar do tempo, as gerações de híbridos foram se tornando cada vez mais saudáveis, a ponto de superar as E. coli atuais em alguns aspectos. Ao analisar seu genoma, os pesquisadores perceberam que o gene antigo não se modificou: as proteínas que interagem com ele é que mudaram. Assim, a evolução tomou um rumo diferente do esperado.

A equipe deverá continuar estudando o organismo híbrido para ver como o processo evolutivo vai se desenrolar. “Queremos saber se a evolução sempre vai para um único ponto, ou se encontra múltiplas soluções para um mesmo problema”, explica Kaçar.

Fonte:[Science Daily]

Uma resposta para “Cientistas "ressucitam" gene de mais de 500 milhões de anos”

  1. José Calasans. disse:

    É o tipo de pesquisa que apesar de envolver algum tipo de risco, precisa ser feita.Aprenderemos muito com os resultados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Obscuras teorias da conspiração #22#
Mistérios que desafiam a explicação #5#
Conjuntivite não é grave mas incomoda
Pérolas do “RH”
'Sexy' ou 'Sem noção'?
Arte em Vidros de Perfume
Arqueólogos alemães encontram estátua de Buda esculpida em meteorito
Qual é a verdade sobre o telefone de 800 anos encontrado na Áustria ?
Essa é nova ladrão toca campainha para assaltar
Fatos matemáticos de quebrar a cabeça
Todos os direitos reservados - 2016