Cometa recém descoberto pode ofuscar a lua

Um cometa recém-descoberto deve tornar-se uma das luzes mais brilhantes no céu – mesmo ofuscar o brilho da Lua, de acordo com os astrônomos. 

Astrônomos russos recentemente descobriram um cometa  S1 (ISON) há 90 milhões de quilômetros da Terra, de acordo com um relatório da National Geographic. 

Hoje ele tem um  tênuo brilho estrias entre Saturno e Júpiter, mas como a gravidade do Sol  o cometa atrai mais poeira e gelo,  dando-lhe uma cauda altamente reflexiva. Dependendo do quão grande a cauda fica, o cometa  pode tornar-se mais visível por alguns meses no final de 2013 e início de 2014. “Se ele faz jus às expectativas , este cometa pode ser um dos mais brilhantes da história “, Raminder Singh Samra do HR MacMillan Space Centre, no Canadá disse ao National Geographic. O cometa já parece estar a seguir o caminho de um  grande cometa de 1690, que foi um dos mais impressionante já visto da Terra. 

Também deve passar cerca de 10.000 mil quilômetros de Marte, possivelmente fornecendo novas imagens para o Robô Curiosity da Nasa . Mas o Sr. Samra alertou, os cientistas devem ser cautelosos sobre predizer o brilho de cometas, pois eles não conseguiram viver às expectativas no passado.

Fonte:news.sky.com

Um comentário a “Cometa recém descoberto pode ofuscar a lua”

  1. Frederico Feroli diz:

    Disseram o mesmo do Harley e eu lembro que foi triste era um pontinho no ceu com um risco atrás foi uma das maiores decepções da minha infancia …

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Os Sons apocalípticos estão de volta desta vez, na Eslováquia
Vaza vídeo que aponta a causa do desastre no pentágono
O poder do chocolate
Quem teria feito estes artefatos com 60.000 anos ?
As maiores coincidências de todos os tempos I
Saiba como estão e por onde andam os atores de "Doze é demais"
Obscuras teorias da conspiração #15#
Maneiras de controlar o clima
Conheça a Síndrome do homem de Borracha
E se os pólos magnéticos da terra se invertessem?
Todos os direitos reservados - 2016