Efeito Mandela : The Bernstain Bears

Efeito Mandela  The Bernstain  Bears

Efeito Mandela : The Bernstain Bears, The Berenstain Bears é o nome de um desenho animado muito famoso que passou na TV americana entre 1985 e 1987, ganhando outros episódios em 2003. O desenho foi criado à partir dos livros infantis de mesmo nome, de autoria do casal  Stan e Jan Berenstain. Tanto o livro quanto o desenho apresentam uma família de ursos pardos antropomórficos (Papa Bear, Mama Bear, Sister Bear, Brother Bear e mais tarde Honey Bear) que geralmente aprendem uma lição moral ou relacionada a segurança no decurso de cada história.

Os livros e o desenho eram voltados totalmente ao público infantil, e seus personagens tornaram-se os mais amados da literatura moderna americana, fazendo parte da infância de milhares de pessoas.

Mas por que este desenho infantil aparentemente inofensivo esta causando tanto furor na internet? Algumas pessoas afirmam que apenas o nome The Berenstain Bears pode provar que existe uma “falha na matrix” de nossa realidade.

Na verdade é algo muito simples: praticamente ninguém se lembra que o sobrenome da família, Berenstain, é escrito com A, mas sim com E. Não entendeu? Vou explicar melhor: Aqueles que assistiam a série ou leram os livros podem jurar de pés juntos que o nome é The BerenstEin Bears e não The BerenstAin Bears.

Pode parecer algo insignificante, mas tente imaginar por este lado: um belo dia, você está vendo TV e de repente começa um episódio de Tom e Lerry. Lerry? Você acha estranho, afinal, em sua infância toda você se recorda de que o nome do ratinho marrom é Jerry, e resolve tentar descobrir o que se passa. O que você encontra? Tudo, absolutamente tudo, desde antigos episódios, fotos, livros de colorir, artigos na internet, tudo o que você encontra do desenho está como Tom e Lerry. Entendeu o exemplo?

O fato é que há tantas pessoas que afirmam se lembrar que o nome é BerenstEin, que foi criado para esses “crentes”, a alcunha de Berensteinites. Aliás, a esmagadora maioria dos espectadores se lembram que o nome era escrito com E. De fato, até a própria pronuncia do nome muda, então como tantas e tantas pessoas conseguiram “se enganar” dessa forma?

“Eu só percebi que se escrevia com ‘A’ quando eu li um dos livros para meu filho, há oito meses atrás. Esta foi uma hora de dormir perturbadora” contou um Berensteinite.

A teoria The Berenst[E]ain Bears já existe há alguns anos, mas explodiu definitivamente quando o rapper EL-P postou o seguinte tweet:

“A conspiração de universo alternado  ‘Berenstein Bears/The Barenstain Bears’. De nada.”
Ao contrário de muitas outras teorias da conspiração, a dos Berenstains parece estar ganhando força. Existem aqueles (a maioria) que se intitula “Time Stein”, existem os “Time Stain” e aqueles que simplesmente não se lembram. Contudo, esta pequena parcela de pessoas que não se lembram podem ser a prova de uma terceira, mais misteriosa e possivelmente mais obscura, linha do tempo.

Muitos teóricos em particular, acham que a teoria Berenst[E]ain é a prova de um Efeito Mandela.

O Efeito Mandela é uma ideia expressada por Fiona Broome, que surgiu quando um grande número de pessoas tiveram a memória vívida de que Nelson Mandela havia morrido na prisão em 1990 e caralhada. Não é como um boato que você ouviu e acreditou, é uma lembrança REAL que as pessoas tiveram. Como todos sabem, Nelson Mandela morreu em 2013, mas quais são as razões para que uma grande parte da população compartilhe desta memória falsa? Surgiu então o Efeito Mandela, explicado como um fenômeno “relacionado à histórias alternativas e realidades paralelas” (não vou me aprofundar no tema hoje, pois farei um post completo em breve, me interessei pelo tema).

A coisa toda faz total sentido, certo?

Como todas as questões complexas e importantes, você deve primeiro entender a história se quiser entender a teoria. A primeira vez que alguém notou que o nome da família de ursos era diferente daquela que se lembrava foi em 2009, em um fórum de assuntos variados da internet, o Dreadlock Truth. O usuário Burke postou perguntando o porquê o nome de seu livro favorito da infância havia mudado. Ninguém compreendeu o assunto em questão, nem a gravidade da verdadeira mensagem dos ursos. Outros usuários apenas ofereceram alguns motivos: talvez pelo nome soar “judeu” demais e a mudança ter ocorrido como resultado de uma agressão neo-nazista, ou coisas do tipo.

A teoria permaneceu dormente por alguns anos antes de reaparecer em um site humorístico chamado Communist Dance Party em um post de 2011. Embora as palavras tenham sido escritas de forma sarcástica, o escritor O Falso Profeta relaciona a teoria Berenst[E]ain com o efeito borboleta.

“Em algum momento entre os anos de 1986 e 2011, alguém viajou de volta no tempo e, inadvertidamente, alterou a linha do tempo da história humana para que os Berenstein Bears de alguma forma se tornassem os Berenstain Bears”, escreveu ele. “É por isso que todo mundo se lembra do nome incorretamente, era Berenstein quando éramos crianças, mas em algum momento quando não estávamos prestando atenção, alguém voltou no tempo e alterou nossa experiência de vida muito ligeiramente.” Mal sabia ele o quão importante essa noção viria a ser no movimento.

A próxima aparição da teoria veio depois, no final de 2012, no blog The Wood Between Worlds, no post “The Berenstain Bears: Nós estamos vivendo em nosso próprio universo paralelo.” de autoria do autor Resse. As 1.600 palavras que compõe o artigo viriam a ser a principal literatura deste movimento moderno, algo como o Novo Testamento da teoria.

Nele, o autor do blog faz uma “modesta proposta”, que implica que todos nós estamos “vivendo em nosso próprio universo paralelo.” Ele propaga que existem pelo menos dois universos; o universo “stEien” e do universo “stAin”. O autor tenta provar a teoria como verdadeira, e divide-se em termos matemáticos e científicos.

Aqui está um trecho:

Proponho que o universo é uma variedade complexa 4-dimensional. Se você não habla jargões matemáticos, isso significa que eu proponho que as 3 dimensões espaciais e a 1 dimensão de tempo são na verdade complexas entre si, o que significa que assume-se valores de forma a + ib, parte “real” e parte “imaginária”.

A partir daí, a teoria tomou forma, e começou a aparecer no ano passado em um subfórum do reddit (conhecido como /subreddit) com o nome “Glitch in the Matrix”, onde o “evangelho” da teoria começou a se espalhar. Para quem não sabe, esse subfórum do Reddit é dedicado àqueles que “se lembram de coisas que não aconteceram”, digamos assim. A primeira grande aparição da Berenst[E]ain Theory no Reddit ocorreu em um post de um usuário perguntando se alguém já tinha visto um retrato de Henry VIII comendo uma coxa de peru.

O Efeito Mandela tornou-se um tema tão popular que um subreddit dedicado exclusivamente à ideia foi iniciado em 2013. Ele existe como um lugar onde as pessoas podem se questionar sobre fatos do tipo. É um bastião do pensamento intelectual. Um post recente da subreddit foi dedicado ao Berensteinites Roxxorursoxxors, que criou um plano de experiência de 20 anos com o sua filha de dois. A experiência consiste em certificar-se que a criança conheça e leia os livros The Berenstain Bears até que tenha 10 anos. À partir daí, ele irá retirar os livros da posse da criança até que ela complete 25 anos, e então pedirá que ela escreva o nome dos ursos.

Um outro usuário do Reddit mandou um e-mail para o Dr. Henry L. Roediger, um dos principais especialistas em memórias falsas na América do Norte, que explicou: “Eu não tenho certeza de que se esquecer de uma letra em um nome longo é considerado como uma falsa memória. Meu palpite é que, neste caso, “stEin” é lembrado porque é o final comum de muitos nomes, como Einstein, Frankenstein, Goldstein,etc..”

Outro usuário ainda mandou e-mails para a Random House, a editora dos livros The Berenstain Bears desde 1962, em uma tentativa de confirmar a teoria. No e-mail, ele perguntou se o nome da família de ursos sempre foi digitada com “A”, e se eles estavam certos de que não havia títulos impressos com o nome Berenstein. O usuário então informou que quase imediatamente após ter enviado o e-mail, recebeu uma resposta da editora. “Foi sobrenaturalmente rápido” ele contou “quase como se soubesse que eu estava enviando o e-mail.”

“Obrigado por entrar em contato com departamento de publicidade do livros infantis da Random House,” eles responderam. “Por favor, note que, devido ao grande número de e-mails que recebemos diariamente, pode demorar algum tempo para que possamos responder ao seu pedido.” É escuso dizer que a pergunta ainda não foi respondida.

Fonte: Show do Medo

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Curiosidades sobre "As meninas"
Celulares e radiação: conheça os modelos que emitem os maiores e menores níveis
Pesquisadores chineses criam microrobô capaz de andar sobre as águas
Formas e símbolos misteriosos são descobertos em Floresta
Adolescente comete suícidio por causa bullying na internet
A arte nas ruas
DNA bigfoot e os sons misteriosos pelo mundo
Até que ponto ainda nossa Política chegará?
Como estão hoje os atores de "Barrados no baile" Parte I
Os Laser poderão um dia tornar-se poderosas armas reais ?
Todos os direitos reservados - 2016